Saque do FGTS


Todos os trabalhadores com carteira de trabalho assinada possuem conta bancária própria vinculada ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), atualmente administrado pela Caixa Econômica Federal. Mensalmente, o empregador é obrigado a depositar nessa conta o equivalente a 8% sobre a remuneração do empregado (No caso de menores aprendizes, o percentual é de 2%). O saldo dessa conta é corrigido monetariamente com base nos parâmetros da poupança e capitalizado a juros de 3% ao ano. Em caso de demissão sem justa causa, o empregador é ainda obrigado a efetuar o pagamento de uma multa, correspondente a 40% do todo o valor já depositado de FGTS na conta vinculada.

Dentre outros casos previstos em lei, o saque do FGTS pode ser realizado pelo paciente com câncer, AIDS e em estágio terminal de outras doenças. Também pode ser sacado pelo titular da conta que possuir dependente – esposo (a), companheiro (a), pais, sogros, filho e irmão menor de 21 anos ou inválido – portador de alguma dessas doenças.

A solicitação do saque deve ser feita em qualquer agência da Caixa Econômica Federal (CEF). Com os documentos de Carteira de trabalho, exceto quando se tratar de diretor não empregado ou em caso de apresentação de outro documento que comprove o vínculo empregatício; Documento de identificação do trabalhador ou diretor não empregado; Cartão Cidadão ou número de inscrição PIS/PASEP ou Inscrição de Contribuinte Individual junto ao INSS para o doméstico não cadastrado no PIS/Pasep; Atas das assembleias que deliberaram pela nomeação e pelo afastamento do diretor não empregado; cópia do Contrato Social e respectivas alterações registradas no Cartório de Registro de Títulos e Documentos ou na Junta Comercial, ou ato próprio da autoridade competente publicado em Diário Oficial. Os documentos devem ser apresentados em via original e cópia, para confronto e autenticação no ato do recebimento, ou por meio de cópia autenticada; Atestado médico com validade de 30 dias, contendo diagnóstico expresso da doença, estágio clínico atual da doença/paciente, CID – Classificação Internacional de Doenças, data, nome, carimbo e CRM do médico com a devida assinatura; Cópia do laudo do exame histopatológico ou anatomopatológico que serviu de base para a elaboração do atestado médico; Comprovante de dependência, no caso de saque para o dependente do titular da conta acometida por neoplasia maligna (câncer); Atestado de óbito do dependente, caso este tenha vindo a falecer em consequência da moléstia.

Saque do FGTS


Todos os trabalhadores com carteira de trabalho assinada possuem conta bancária própria vinculada ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), atualmente administrado pela Caixa Econômica Federal. Mensalmente, o empregador é obrigado a depositar nessa conta o equivalente a 8% sobre a remuneração do empregado (No caso de menores aprendizes, o percentual é de 2%). O saldo dessa conta é corrigido monetariamente com base nos parâmetros da poupança e capitalizado a juros de 3% ao ano. Em caso de demissão sem justa causa, o empregador é ainda obrigado a efetuar o pagamento de uma multa, correspondente a 40% do todo o valor já depositado de FGTS na conta vinculada.

Dentre outros casos previstos em lei, o saque do FGTS pode ser realizado pelo paciente com câncer, AIDS e em estágio terminal de outras doenças. Também pode ser sacado pelo titular da conta que possuir dependente – esposo (a), companheiro (a), pais, sogros, filho e irmão menor de 21 anos ou inválido – portador de alguma dessas doenças.

A solicitação do saque deve ser feita em qualquer agência da Caixa Econômica Federal (CEF). Com os documentos de Carteira de trabalho, exceto quando se tratar de diretor não empregado ou em caso de apresentação de outro documento que comprove o vínculo empregatício; Documento de identificação do trabalhador ou diretor não empregado; Cartão Cidadão ou número de inscrição PIS/PASEP ou Inscrição de Contribuinte Individual junto ao INSS para o doméstico não cadastrado no PIS/Pasep; Atas das assembleias que deliberaram pela nomeação e pelo afastamento do diretor não empregado; cópia do Contrato Social e respectivas alterações registradas no Cartório de Registro de Títulos e Documentos ou na Junta Comercial, ou ato próprio da autoridade competente publicado em Diário Oficial. Os documentos devem ser apresentados em via original e cópia, para confronto e autenticação no ato do recebimento, ou por meio de cópia autenticada; Atestado médico com validade de 30 dias, contendo diagnóstico expresso da doença, estágio clínico atual da doença/paciente, CID – Classificação Internacional de Doenças, data, nome, carimbo e CRM do médico com a devida assinatura; Cópia do laudo do exame histopatológico ou anatomopatológico que serviu de base para a elaboração do atestado médico; Comprovante de dependência, no caso de saque para o dependente do titular da conta acometida por neoplasia maligna (câncer); Atestado de óbito do dependente, caso este tenha vindo a falecer em consequência da moléstia.

Direito dos pacientes com câncer

pas_ico1pas_ico1s
pas_ico2spas_ico2s
pas_ico3pas_ico3s
pas_ico4pas_ico4s
pas_ico5pas_ico5s
pas_ico6pas_ico6s
pas_ico7pas_ico7s
pas_ico8pas_ico8s

Informações aos pacientes

pas_inf_ico1pas_inf_ico1s
pas_inf_ico2pas_inf_ico2s
pas_inf_ico3pas_inf_ico3s
pas_inf_ico4pas_inf_ico4s

Depoimento de alguns de nossos pacientes

  • Parabéns Dr.! Quem ganha somos nós com tantas informações importantes! Muito obrigado. Ótimo médico.
    Anônimo
  • Dr. querido também só tenho a lhe agradecer. Tudo que fez pela minha vida. Deus lhe abençoe sempre.
    Elisete Rodrigues
  • Grande profissional, Dr. Rodrigo. Obrigada por tudo que fez por mim! Extremamente atencioso.
    Fabiana Valiatti Bordin
Free WordPress Themes, Free Android Games